Desilusões perdidas...

Sei que tem muitas leitoras do blog que são novas e nem pensaram em vestibular ainda, sei que algumas já estão na faculdade, e outras estão no grande dilema que toda pessoa passa quando chega no terceiro ano "que curso escolher?" Quando na verdade a pergunta maior, acredito eu, seja: o que eu quero pra minha vida?

Passar no vestibular não é nada fácil, quem já passou/está passando por isso sabe. Existem milhares de cursos, faculdades, opções não faltam, mas a dúvida mesmo é: qual escolher? Nesse texto, meu objetivo não é desanimar ninguém, longe disso, é pra tentar "abrir" a mente de vocês que estão passando por isso, com algumas dicas que espero que sejam bem úteis.

Se você não sabe por onde começar: faça uma lista com tudo que você gosta de fazer e a partir dela tente selecionar os cursos que são do seu interesse, selecione pelo menos três. Por que? Porque a concorrência é grande, entrar numa faculdade pública não é fácil, e ninguém quer perder dez anos da vida estudando pra passar em vestibular.

Foi o que eu fiz, minha lista era: Design de Moda > Jornalismo > Publicidade e propaganda. Terminei meu ens. médio ano passado e to quase terminando meu primeiro ano no curso de Jornalismo e nesses primeiros meses como acadêmica eu aprendi algumas coisas. 

Primeira: não faça do seu trabalho a sua vida. O que faz você feliz? O que importa pra você? A minha resposta seria: minha família, meus amigos, ouvir música boa, ir pra praia, ler bons livros... Como você se vê daqui 15 anos? Morando na praia, de bem com a vida, com um trabalho legal e com todas as pessoas que eu amo por perto.

Estão entendendo aonde eu quero chegar? Você nunca deve dar prioridade ao trabalho, existem coisas muito mais importantes do que isso, as lembranças que você constrói são a única coisa que você vai levar consigo desse mundão. Nada mais.

No meu primeiro mês de aula, em relação ao curso eu me desiludi demais, eu esperava uma coisa e era outra. Sabe? Eu me imaginava bem mais realizada com o curso do que eu estava. Então eu parei pra pensar no quadro maior: fazendo jornalismo eu poderia atuar na tv, moda, revistas, internet... Ou seja, eu posso trabalhar em várias áreas que eu curto bastante e estarei formada com 21 anos.

Se fosse pra ver no quadro menor eu desistiria porque tem várias matérias que eu não suporto, e muita coisa que ao meu ver como jornalista vai ser "inútil". Na faculdade, todo mundo acaba se desiludindo com alguma coisa ou outra, é impossível entrar em um curso e gostar de TUDO que você tem que estudar.

Aí, eu parei pra pensar no quadro maior ainda: os próximos anos. Minha desilusão esse ano foi me deparar com um monte de coisa que eu nem imaginava que ia precisar aprender, matéria e mais matéria, textos e mais textos, e nada de colocar a mão na massa, se é que me entendem. Mas é um processo, não tem o que fazer, você precisa aprender gostando ou não, e pronto.

O que eu quero dizer com tudo isso é, da maneira mais franca: não faça do seu "trabalho" a sua vida. Jornalismo não era a minha primeira opção, e as vezes a ideia de estar estudando moda me parece mil vezes melhor, porém, vai ser apenas o meu trabalho.

"- Ah mas você vai fazer isso pro resto da sua vida!"

E quem não trabalhou a vida inteira? Grande parte da nossa geração tem sorte de poder "escolher" o que quer ser, a maioria dos nossos pais não tiveram essa oportunidade, não é mesmo? Então veja o quadro maior sempre e viva!


Espero que a ideia principal tenha sido passada a vocês, sintam-se livre pra concordar ou discordar, um beijo ♥

Um comentário:

  1. na verdade, acho que a gente deve pesar bem o que quer fazer. BEM MESMO. não deve ser uma coisa qualquer, tem que ser algo que você goste e que não vá te deixar cada dia mais pobre e cansado.
    {Emilie Escreve}

    ResponderExcluir