See you soon.

Conforme o tempo passa tudo muda, tudo muda de lugar; é o que dizem, e eu até concordava, talvez. Na verdade o que mudam são as pessoas, tem outras coisas que simplesmente não mudam. E eu mudei. Deixei a porta aberta para que tudo entrasse, e a porta é a única suicida aqui. E bem, as coisas entraram, e eu não tive medo, eu não tenho medo, que elas me acertem... Talvez antes eu não aguentasse, eu era fraca, eu fui fraca. Eu cresci comprimentos e mais comprimentos desde que tudo isso começou. Desde que começamos com tudo isso. Talvez minha mente tenha ido para a direção contrária uma vez ou outra. Acredito que grande parte disso tenha sido nossa culpa, não dá para culpar o mundo pelos nossos problemas por muito tempo. Mas bem, quando o amargo e o doce se colidem, não é coincidência. É como eu disse tem coisas que não mudam, nós não mudamos. O tempo passou e continuamos os mesmos, e lá no fundo, está guardado o que as pessoas costumam chamar de; amor. Mesmo em segredo. E eu guardarei tudo, em meu coração, sempre.

Com amor Jac

Frágil

Fugir. Parecia uma decisão rápida, aliás, era a única delas para mim, não queria decidir nada, queria deixar estar, posso? Parti. Levei o que achava necessário, as coisas quais eu queria deixar, não ficaram como o planejado, lembranças podem ser muito incômodas. Saí. Enquanto andava tive a sensaçaõ de que eu estava indo para o trem, você para a estação... Continuei. Parei um segundo para respirar, ver as luzes, sempre que as olhava parecia ser á primeira vez; ou a última. Senti meu coração acelerar, era aquele cheiro tão conhecido, que devia estar a milhas dali, mas me parecia tão perto, tão perto... Senti sua mão segurar a minha. Pronto, aqui vou eu outra vez. É tudo tão frágil...