Real

Não quero algo inventado. Quero algo fora dessa vida, que todos vivem e passam dia após dia como se tudo estivesse bem, quando não está. Quero algo real; quero sentir algo. Algo verdadeiro, que vá fundo, tão fundo que toque minha alma, de um jeito que ninguém nunca conseguiu fazer antes, que me faça parar de respirar por um segundo, só pra sentir aquele momento. Que me faça ir além; além de tudo por você. Por você não medirei conseqüências, tomá-las-ei por você. Quero que você esteja bem aqui, ao meu lado, para me abraçar e me fazer sentir protegida, de tal forma que nada lá fora importe. Que seja apenas o que estamos sentindo. Que dure, por muito tempo. Quero que você seja meu anjo e eu tuas asas. Quero fugir toda a tarde com você, dirigir pra qualquer lugar, que seja novo pra gente, e então aproveitaremos o momento, e no dia seguinte faríamos de novo. Quero tudo novo, algo velho que seja novo pra mim, um sentimento que seja velho e seja novo pra mim. Quero adormecer nos seus braços e acordar neles. Porque eu quero algo real, quero sentir algo...

Encontro


Sei o quanto é difícil pra você, também é difícil pra mim, estamos seguindo caminhos diferentes. E talvez isso não seja uma coisa ruim. Não quer dizer que temos que ir aos mesmos lugares, fazer as mesmas coisas, seguir os mesmos caminhos. Quem sabe no final eu seja o seu caminho e você seja o meu. E a gente se encontre enquanto seguíamos em frente; sempre em frente, e uma hora chegaríamos. Aonde? eu ainda não tenho certeza. Não tem certeza de nada. Nunca gostei de ter coisas planejadas, fazer uma lista com tudo que irei fazer quando for pra tal lugar... Gosto do inesperado. E com você foi assim.
Então quem sabe meu bem, depois de um tempo, o inesperado acontece novamente, pois, nós nunca gostamos da palavra rotina, finjo que não sei o que ela significa pois pra mim nada significou. Sempre fiz coisas por impulso. Algumas foram boas, outras ruins... mas em meio a elas você apareceu. E agora cá estamos, decidindo o que fazer.
Você vai para um lado e eu para outro; não.
Não desse jeito. Então se despessa de mim meu bem, dê-me um beijo e saia, siga seu caminho, e eu seguirei o meu, quero que saiba que eu amo você, e que se for para ser, nos encontraremos no final, da maneira mais inesperada possivel, do melhor jeito possível. Então continuaremos, a viver essa vida desenfreada cheia de emoções.

Vendida


Se vende por roupas de marca, pessoas populares, opinião alheia, o que ta na moda, aquele filme que "todos" estão assistindo, o novo site que todos estão participando, aquela pessoa que de tudo sabe...
Esse tipo de prostituta não vende o corpo. Vende a alma, vende a personalidade que ela nunca terá, vende a opinião que ela nunca teve, e o futuro que será nada menos, do que ser um papel em branco. Está ali, indiferente, esperando para que alguém a "personalize".
O papel e a prostituta são quase iguais, os dois estão esperando por algo que o faça ser "diferente". Mas a prostituta pode ser a diferença entre os dois; pode mudar por si mesma. Mas na maioria das vezes não, a prostituta fica ali, continua ali; sendo apenas um papel em branco...

"Ser diferente não é não se igual aos outros, é ser você mesmo."

É agora.

Não meu amor, eu não espero que ninguém entenda. Essa amizade, sem freios, sem pausas, sem ponto final. Maus olhares, espingardas carregadas, veneno escorrendo da boca de supostos amigos. E sim meu amor, nada vai além da amizade, da nossa amizade, da nossa brincadeira. Não, não temos tempo a perder, na verdade estamos á frente do tempo. Tudo está se repetindo, estamos vendo as mesmas coisas, mesmas frases, mesmas pessoas; mesmo tudo. Enquanto todos caminham para trás nós corremos para frente. Ah como eu adoro essa vida inventada. Largaria tudo para viver um desses sonhos. Mas na verdade eu não me importo, ah não me importo mesmo. Dizer é quase tão bom quanto fazer, o que importa é que estamos aqui agora. A cada esquina uma história, a cada olhar uma lembrança. Ah meu amor, nós iremos longe. Está no nosso destino. A cada suspiro que dou quase perco o fôlego. Estou a um ponto de me achar. Mas se eu me achar, não vai ter mais graça. O bom é poder inventar e viver ao mesmo tempo. Ah meu amor, adoramos voar!

Quero...

entrar no mar e ir até meus pés não alcançarem o chão;
me jogar daquela montanha e fingir que posso voar;
dirigir para lugar nenhum ouvindo a minha música;
correr até sentir que meus pulmões não vão agüentar mais;
entrar no primeiro ônibus que eu ver com apenas uma mochila nas costas;
chegar num lugar que nunca fui, repleta de vontade de viver;
sentir o cheiro e provar tudo o que eu quiser;
ficar acordada esperando para ver aquele nascer-do-sol;
dançar com a lua sem música alguma;
deixar que todos meus sentimentos irem embora junto com a brisa fria;
dormir um dia inteiro e ficar acordada três;
me jogar no mar no inverno, sentindo a água quebrar em minhas costas;
não ter roupa, louça, casa limpa e rir de mim mesma;
e quem foi que disse que eu tenho medo?
o que eu tenho é espírito aventureiro!

Dádiva

A cada 1 passo que dou para frente, volto 2 para trás. Tentando entender o que estou fazendo. O que eu quero; o que eu quero? Depois de algum tempo pensando, não encontrei a resposta. Os segundos continuaram passando, afinal, o tempo não para, para que eu me concerte. Andando pelas ruas escuras, só podia se ouvir minha respiração, o que me assustava. Me assustava ter que ouvir a minha respiração quando eu queria ouvir a sua. Andei mais rápido. Sentei. Ofegante olhando para o céu. Mesmo sem saber o que queria, eu desejava pelo menos naquele momento, sentir você, minha dádiva. Nem que fosse por um segundo. Só para que eu pudesse lembrar-me de como era. Levantei-me e segui em frente. Dizem que não se pode mudar o que já está feito. Cheguei á porta de casa, e fiquei ali; parada por alguns minutos, criando coragem para entrar. Para enfrentar aquilo que chamam de vida. Não é uma coisa de que se pode fugir; talvez até possa, mas não por muito tempo. Com passos lentos e sem fazer algum barulho sequer, entrei. Sentei-me na varanda, e contemplei daquele céu cheio de estrelas mais uma vez; desejando que você entrasse e fizesse tudo isso parar.
Mas é como dizem; querer nem sempre é poder.

Descobri.


Olhei em volta. Vi-me cercada de pessoas, todas ao meu redor, querendo um pedacinho de mim. Então olhei novamente. Contei nos dedos em quantas delas eu podia confiar, considerar meus amigos. Não precisei das duas mãos para isso, e ainda me sobraram dedos. Ver que mesmo estando cercada de milhares de pessoas e pouquíssimas as que realmente posso confiar, descobri, a realidade. E que muitas vezes, ela dói. Ela te machuca. Ela deixa uma ferida que mesmo quando você acha que ela está curada, ela volta a doer vez ou outra. A cada pessoa que conheço, cresço um pouco mais. E a dor vai se tornando cada vez mais fraca. É como se você já soubesse que vão te magoar quando você menos espera, e então não é tão doloroso. A verdade é que mesmo que doa, vai passar. As vezes achamos que não, mas passa. Essas pouquíssimas pessoas, meus amores, são as que realmente valem a pena. Sei que elas podem errar de vez em quando, mas isso é normal. Somos humanos e erramos sempre. Acontece que existem certas coisas que não merecem perdão, e cabe a você e mais ninguém julgá-las.

E então fica a frase que fiz a alguns dias e que me inspirou em fazer esse texto;
"Nunca se engane achando que sabe tudo sobre uma pessoa, pois o que você sabe, é o que ela te permite saber. "