Carta

Você queria uma carta, então aqui está. Não esta não é uma carta comum, não quero que a guarde, quero que a leia, e a queime depois. Se em meio a essas palavras haja algo que te faça bem, que te faça sorrir, algo que mais tarde valha a pena lembrar; guarde as palavras com você, quando precisar delas, elas vão aparecer em sua mente, sem necessidade alguma de ler isto novamente. Eu não queria escrever para você, ou sobre você, porque sabia como iria acabar. Ou não acaba? Enfim, eu não sou o tipo que chora até não conseguir manter os olhos abertos, ou que não come, e não dorme, e não sonha, por alguém. Pelo contrário, acho que eu sou do tipo que dorme com um dos olhos abertos, que entende; sem entender, que gosta de alguém a ponto de não precisar de palavras, que sonha sim, mais sou daquela que não só sonha, afinal de que adiantou você sonhar se não acredita em sonhos? Nós até podemos ser parecidos, como você sempre dizia. Mas a nossa diferença é essa, o seu sonho não sonhado terminou, com todas as razões erradas, da mesma forma que o que era nosso terminou, com todas as razões certas. Pois bem, eu te avisei. Essa não é uma carta comum. Procurei colocar o pouco de sabedoria que tenho aqui, para que você aprenda como eu aprendi, e para que você comece; a sonhar. Talvez você não entenda a mensagem de primeira, pode ler outra vez, não precisa de atenção, precisa de cuidado. Quando a entender; queime. E leve consigo coisas boas, suspire coisas boas. Coisas ruins nunca nos levaram a lugar algum. Por isso, não tente me entender, nem eu mesma me entendo. Da mesma forma que nunca te entendi. Porém também quero te agradecer, apenas agradecer, certos momentos vão ficar juntos a mim para sempre. E bem, talvez essa seja a nossa resposta. Certo?

Com carinho, jaque

Um comentário:

  1. Nossa! Linda carta. Adorei! *-*

    bjs,

    http://todamocinha.blogspot.com/

    ResponderExcluir