E agora?

 Eu sempre tive um milhão de defeitos, e pouquíssimas qualidades, ele sempre foi a pessoa que não se importou com isso. E bem eu não me importava com ele, até ele mencionar a palavra amor. - Amor; para o que serve? absolutamente nada. E eu não preciso dele, não preciso de nada. - disse-lhe. Fato é, que eu precisava, do amor, mesmo não acreditando nele, eu precisava, todos os dias. A ansiedade, o suor frio, a vontade, o desejo, o medo. Foi por isso que eu fugi, não porque eu queria, mas sim porque precisava. Enquanto escrevia isso, percebi que perdi o trem, não sei ao certo onde estou, não sei o que eu quero, não sei o que fiz a mim mesma, ou o que você fez em mim. Parada olhando para os próprios pés - o que eu fiz? - algo está faltando, não sei o que fazer - e agora? - o medo tomou conta de mim. Tudo o que eu disse que nunca iria precisar, tudo que eu julgava errado, tudo que eu não queria, mas descobri, que precisava: você. Então foi mais forte que eu, e isso era algo que eu realmente não esperava, o que eu sentia era mais forte que eu mesma, era forte o bastante para me fazer voltar, e eu voltei, por você.
- Não me deixe, ok? - ele disse.
- Ok.

Um comentário:

  1. texto muito bom!

    também tenho um blog. Se quiser dá uma passadinha lá e se gostar me siga também!

    ^^

    http://todamocinha.blogspot.com/

    ResponderExcluir